Logon
Blog

O que é trauma? Entenda os diferentes tipos e saiba como identificar e tratar essa condição

Muito ligado a acidentes e situações imprevistas, quadro requer tratamento rápido e altamente especializado

Quando se ouve a expressão “trauma" associamos mais diretamente o termo a traumas psicológicos, causados por alguma experiência marcante que atravessamos. Porém, o trauma​​ também pode ser físico, e é dele que vamos tratar aqui. Chama-se trauma uma lesão que é produzida por uma ação externa ao corpo. Ela pode ser por violência física ou química, bem como por quedas, queimaduras, acidentes automobilísticos ou acidentes domésticos. 

Suas consequências podem ser graves e abranger vários órgãos. Por isso, até mesmo aqueles que parecem simples e menos impactantes ainda exigem cuidados profissionais. 

Acidentes domésticos ​ 

Os acidentes domésticos são responsáveis por uma grande parcela dos casos que chegam aos centros de trauma. Segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria, os acidentes domésticos representam a principal causa de morte entre crianças e adolescentes de 1 a 14 anos. A pesquisa aponta, ainda, que 90% deles poderiam ter sido evitados. 

Portanto, para quem tem criança em casa, esse deve ser um alerta constante. Infelizmente, mesmo com todo o zelo, os acidentes precisam só de um descuido momentâneo para acontecer. E vale ressaltar: não há regra. Objetos e situações das mais variadas possíveis podem acabar em finais dolorosos, tanto para crianças como para adultos, que também são bem suscetíveis a acidentes domésticos.  

Acidentes por causa externa​ 

Como já foi citado, esses costumam ser os casos mais emblemáticos e podem acontecer em qualquer lugar, a qualquer momento e das maneiras mais imprevisíveis. Uma grande parte dos casos acaba deixando sequelas e consequências traumáticas para a vida de quem os vivencia. Nessas situações, as equipes de primeiros socorros passam a ser agentes decisivos, pois os procedimentos realizados nos primeiros momentos do ocorrido são capazes de salvar ou condenar uma vida. 

“Para a reanimação no trauma ser bem-sucedida, temos dois grandes fatores preditivos de sucesso: tempo para iniciar as manobras e gravidade da lesão. Lesões cardíacas e de grandes vasos sanguíneos necessitam de atendimento especializado e num curto intervalo de tempo; essa é a única chance de salvar os pacientes", exemplifica o Dr. Rodrigo Rocha, cirurgião do Centro de Trauma do Hospital Brasília.  

Fatores que influenciam o resultado do tratamento do trauma​ 

Normalmente, em caso de acidentes, quedas ou outras situações de trauma, quem primeiro recebe a vítima são os profissionais especialistas em resgate e no atendimento pré-hospitalar (APH), como os agentes do Samu ou os bombeiros, por exemplo. Começa, então, uma corrida contra o tempo para oferecer o melhor atendimento a quem sofreu a lesão. “O tempo de socorro e de transporte até uma unidade hospitalar especializada, bem como a forma adequada de transportar e estabilizar esse paciente, são importantíssimos para se obter um desfecho positivo na ocorrência", afirma o especialista Dr. Rodrigo Rocha.  

No atendimento hospitalar, a agilidade e a multidisciplinariedade também se mostram fatores importantes para o resultado dessa assistência.  

Ninguém gosta de pensar muito sobre isso, mas um centro de trauma de referência faz muita diferença para o desfecho de casos simples ou graves nessa área. Em geral, vítimas e familiares só entram em contato com o assunto diante de situações adversas e momentos de aflição, mas que exigem grandes decisões. É o que acontece quando há, por exemplo, acidentes de carro, moto ou bicicleta. No entanto, acidentes podem acontecer a qualquer momento e gerar consequências graves para o resto da vida. Vamos entender como um bom atendimento pode mudar totalmente o desfecho das histórias?  

Centro de Trauma do Hospital Brasília​ 

O Hospital Brasília Unidade Lago Sul foi pioneiro no Distrito Federal a oferecer uma área totalmente dedicada ao atendimento do acidentado. Uma estrutura de alta tecnologia, equipe multidisciplinar e processos muito bem definidos fazem com que a assistência a essas ocorrências seja feita de maneira eficiente. Assim que uma pessoa acidentada chega ao Hospital Brasília, ela é recebida por uma equipe especializada no atendimento. O protocolo inicial permite uma tomada rápida de decisão, e a equipe é treinada para fazê-la da melhor forma.   

Logo que o paciente dá entrada à unidade, seus sinais vitais são aferidos, exames de sangue são coletados e ele passa por um exame físico à procura de lesões que possam colocar sua vida em risco. O objetivo é que, em menos de meia hora, o paciente já esteja com todos os exames prontos, diagnóstico feito e seja encaminhado para o centro cirúrgico, se for o caso.  

Nesse momento, a pessoa passa por uma triagem detalhada que a categoriza, a fim de encaminhá-la para a área de atuação adequada. O protocolo utilizado se baseia no “ABCDE do Trauma", que consiste em verificar os danos causados pela ocorrência em cada função vital do corpo humano. 

 

- vias aéreas – verifica se há obstrução do nariz ou da boca. 

B - verifica se há algo prejudicando os pulmões (fratura de tórax, perfuração etc.). 

C - circulação – verifica se há hemorragia.  

- verifica se há complicações cerebrais causadas pelo tórax, por meio da checagem da cognição e da consciência do paciente. 

E - verifica se houve fratura em algum dos membros. ​

“O Hospital Brasília investe continuamente no treinamento de sua equipe para que, no momento em que esse paciente chegue ao hospital, nenhum segundo seja perdido. Sobre o atendimento ideal, com certeza, nossa equipe presta a melhor assistência ao traumatizado, o que se reflete em nossa taxa de sucesso, que é altíssima", afirma o Dr. Rodrigo. ​

Veja mais