Logon
Blog

Intolerância alimentar: quais são as causas, os sintomas e o tratamento indicado?

Quadro é causado pela dificuldade do organismo em processar certas substâncias

Seja vegano, vegetariano, seja onívoro (pessoas que comem carne), todo mundo tem um prato predileto. Afinal, quem não gosta de uma comidinha gostosa, não é mesmo?!

O problema é que, semelhante ao que ocorre com os diabéticos, mesmo apreciando o sabor de determinados pratos, algumas pessoas infelizmente precisam abandoná-los por sua dificuldade em digerir substâncias – principalmente carboidratos – presentes em alguns alimentos, como o leite, por exemplo. Esse quadro, chamado de intolerância alimentar, acomete cerca de 40% da população brasileira e requer cuidados diários.

Saiba mais sobre o assunto com a Dra. Zuleica Barrio Bortoli, gastroenterologista do Hospital Brasília.

​O que é intolerância alimentar?

A intolerância alimentar é uma resposta do organismo ao consumo de alimentos que não são bem digeridos, o que provoca dificuldade de absorção de nutrientes que podem estar presentes em frutas, grãos, pães, derivados do leite, verduras e vegetais.

É comum que bebês e crianças apresentem alergias alimentares que desaparecem em algum momento da vida, da mesma forma que, a qualquer momento, um adulto pode ser surpreendido com uma intolerância alimentar a algo que nunca havia o incomodado até aquele momento. À medida que envelhecemos, isso se torna ainda mais comum, pois o corpo diminui a produção de enzimas que decompõem alimentos e, consequentemente, a digestão se torna mais lenta e os sintomas de desconforto, mais frequentes.

​Quais são os sintomas da intolerância alimentar?

Você sente desconforto como náuseas, dor de estômago, gases ou diarreia depois da ingestão de alimentos específicos, como pães e derivados do leite? Se sim, você pode sofrer de algum tipo de intolerância alimentar. Normalmente, os sintomas aparecem apenas algumas horas após a ingestão de refeições e bebidas que contenham a “substância vilã". Além das manifestações já mencionadas acima, a Dra. Zuleica Barrio Bortoli destaca outros sinais característicos da condição: distensão abdominal, cólicas e alternância do hábito intestinal, que oscila entre diarreia e intestino preso.

Quais são as causas da intolerância alimentar?

Essa condição é uma reação do sistema digestivo à ingestão de uma bebida ou comida que seu corpo não é capaz de processar.

“Vale destacar que alergia e intolerância são coisas distintas, pois diferentemente da intolerância, a alergia é uma resposta do sistema imunológico a algum alimento que ele julga prejudicial ao organismo", afirma a médica.

Saiba quais são os tipos mais comuns de intolerância alimentar.

​Intolerância à lactose

A lactose é um tipo de açúcar presente no leite que é quebrado por uma enzima chamada lactase. A intolerância à lactose é o tipo mais comum de intolerância alimentar, que se caracteriza pelo déficit de lactase e produz sintomas como dor abdominal, inchaço, diarreia, gases e náusea.

​Intolerância a glúten

O glúten é a proteína encontrada no trigo, no centeio e na cevada. Pessoas com intolerância ao nutriente podem desenvolver patologias como doença celíaca e sensibilidade ao glúten não celíaca. Os sintomas dos dois quadros são semelhantes e podem incluir inchaço abdominal, diarreia ou prisão de ventre, dor de cabeça, fadiga, dor nas articulações, erupção cutânea e anemia.

​Como diagnosticar a intolerância alimentar?

Para a intolerância à lactose, há exames laboratoriais disponíveis, que são os mais frequentemente solicitados.

“Em relação ao glúten, também contamos com exames laboratoriais, mas, na suspeita de doença celíaca, a biopsia endoscópica do duodeno é importante. Para os outros tipos de intolerância, existem os testes respiratórios, que podem fechar o diagnóstico", complementa a especialista.

​Qual o tratamento para a intolerância alimentar?

A Dra. Zuleica ainda explica que a intolerância alimentar não tem cura e que o tratamento consiste em retirar da dieta os alimentos que causam a condição. Algumas enzimas podem ser usadas para casos específicos, como a lactase para a intolerância à lactose ou a alfa-galactosidase para a intolerância aos carboidratos complexos.

“O tratamento é realizado por uma equipe multidisciplinar composta por gastroenterologista e nutricionista, a fim de promover adaptações na dieta para que, mesmo com intolerância, o paciente consuma todos os nutrientes necessários", conclui.

​Núcleo Especializado em Doenças Intestinais Complexas (Nedic)

O Núcleo Especializado em Doenças Intestinais Complexas (Nedic) ​é um projeto inovador e pioneiro na região Centro-Oeste que conta com uma equipe médica multidisciplinar altamente especializada, composta por gastroenterologistas, coloproctologistas, nutrólogos e o suporte das áreas de:

●       radiologia;

●       endoscopia;

●       psiquiatria;

●       nutrição;

●       enfermagem;

●       fisioterapia.  

O núcleo oferece um tratamento direcionado para o paciente que necessita de internação hospitalar por causa de doenças intestinais graves, crônicas e complexas como:

●       doença de Crohn;

●       retocolite ulcerativa;

●       síndrome do intestino curto;

●       diverticulite complicada;

●       obstruções intestinais;

●       síndromes disabsortivas,

●       colites;

●       enterites de várias etiologias, entre outras patologias do trato gastrointestinal.  

A equipe está disponível para receber pacientes encaminhados por profissionais externos que não trabalham com internação hospitalar, com a garantia de que ele será reencaminhado a seu médico assistente para acompanhamento ambulatorial por ocasião da alta hospitalar, juntamente com um relatório detalhado sobre sua condição de saúde, tratamento e exames realizados durante o período de internação.

Nosso objetivo é exercer uma medicina de excelência, humanizada, baseada na ética e no conhecimento científico e ajudar o paciente a conquistar melhor qualidade de vida. ​

Veja mais