Logon
Blog

Cirurgia bariátrica: o que você precisa saber sobre redução do estômago

Cirurgia não é recomendada somente quando há quadro de obesidade extrema.  Há situações em que é indicada para corrigir doenças metabólicas.

​​Para alcançar qualquer objetivo é preciso combinar determinação com disciplina, e com a cirurgia bariátrica não é diferente. Ela tem sido procurada por muitas pessoas que lutam contra a obesidade e as doenças metabólicas. No entanto, o percurso até que o corpo adquira a forma desejada traz muitas dúvidas e até mesmo receios.

Quem pode fazer a cirurgia?

A cirurgia bariátrica traz benefícios que vão além da perda de peso. Na verdade, influencia todo o quadro relacionado com a obesidade, agindo na remissão de doenças associadas como o diabetes e a hipertensão e trazendo benefícios para o indivíduo, por meio da redução do risco de mortalidade, aumento da longevidade e melhora na qualidade de vida. Portanto, a indicação da cirurgia pelos médicos leva em consideração três critérios: índice de massa corporal (IMC), doenças relacionadas e histórico do pacienteEm relação ao índice de massa corporal (IMC), está enquadrada a seguinte avaliação:

● pessoas acima de 40 kg/m², independentemente da presença de comorbidades;

● pessoas com o IMC entre 35 e 40 kg/m² que apresentem comorbidades;

● pessoas com o IMC entre 30 e 35 kg/m² que apresentem comorbidades que sejam classificadas como “graves” por um médico especialista na respectiva área da doença.

Pacientes entre 18 e 65 anos que se encaixem nos critérios acima apresentados não possuem nenhuma restrição para a realização da cirurgia. O Dr. Arnaldo Nacarato, cirurgião do aparelho digestivo e coordenador da Cirurgia Geral no Hospital Brasília Unidade Águas Claras, aponta que a associação da cirurgia com casos de obesidade extrema é equivocada. “Isso faz com que muitos pacientes desenvolvam doenças metabólicas secundárias à obesidade pelo atraso na indicação do procedimento, que poderia evitar que essas enfermidades se desenvolvessem se tivéssemos agido antes”, ressalta o médico.

Porém, vale destacar que a idade é um fator importante na verificação das condições clínicas para a realização do procedimento: para pessoas com mais de 65 anos, é necessária uma avaliação individual que leve em consideração todos os riscos da idade e faça um balanço com os benefícios propostos pelo tratamento. Jovens e adolescentes abaixo de 16 anos, por recomendação de entidades bariátricas, devem ser acompanhados e autorizados pelos pais. Além disso, deve-se ponderar sobre o histórico do paciente, sobretudo no que tange ao acesso a outros tratamentos. 

Principais benefícios da cirurgia bariátrica

É lógico que a redução de peso é a vantagem mais perceptível da cirurgia bariátrica, no entanto, como já apontamos aqui, ela não é a única. O procedimento também age na redução de outras doenças que podem comprometer o organismo e que estão diretamente ligadas à obesidade, o que faz com que o tratamento e o controle dessas patologias resultem na melhoria de todo o funcionamento do corpo.

As principais doenças relacionadas com a obesidade são: hipertensão arterial; diabetes; colesterol alto; esteatose hepática; problemas articulares e apneia do sono. “Outros benefícios da cirurgia são a resolução das doenças metabólicas, quando existentes, e a melhora na autoestima das pessoas”, argumenta o Dr. Arnaldo Nacarato. Além disso, destaca o médico, com o peso corporal mais equilibrado, o paciente tende a ter mais facilidade em retomar as atividades físicas e, assim, adquirir hábitos mais saudáveis.

Tipos de bariátrica

A cirurgia bariátrica passou por muitos avanços em relação ao procedimento e à tecnologia utilizada. Os tipos são:

● restritiva – é a cirurgia que apenas reduz o volume do estômago. Com tal restrição, ela também acaba dando a sensação de saciedade precoce;

● disabsortiva – é aquela que apenas realiza um desvio intestinal, diminuindo o tempo do alimento no trânsito do intestino delgado;

● técnica mista – é a opção mais realizada no Brasil e oferece um enorme grau de satisfação. Com ela, a capacidade do estômago de receber o alimento é restringida, além de ser criado um desvio curto do intestino que induz a redução da absorção dos alimentos.

Todas a técnicas causam alguma alteração hormonal que auxilia na perda ponderal e na resolução das doenças metabólicas. As mais utilizadas hoje no Brasil são a técnica mista (Bypass gástrico) e a técnica restritiva (Sleeve).

No Hospital Brasília Unidade Águas Claras, todos esses métodos são utilizados, e a opção é definida depois da avaliação clínica da pessoa que vai se submeter ao procedimento e da elaboração de um parecer médico. “Costumo dizer às pessoas que nos procuram que não existe uma ‘receita de bolo’, cada caso é um caso. Procuro explicar todo o processo, já que da preparação até os detalhes da técnica escolhida é importante considerar as particularidades de cada um”, completa o médico. Ele ressalta ainda a importância da tecnologia em qualquer um dos métodos cirúrgicos. “Utilizamos a videolaparoscopia em 100% dos casos, trazendo uma recuperação mais rápida, com menores índices de complicação e de tempo de internação hospitalar”, completa o Dr. Nacarato.

Possíveis riscos da cirurgia

É importante ressaltar que a cirurgia leva em consideração as especificidades de cada pessoa na realização do procedimento justamente porque os riscos estão associados às doenças que acompanham a obesidade. Portanto, quanto mais graves essas doenças se apresentam, maiores são os perigos que envolvem a cirurgia. Entretanto, os principais problemas costumam aparecer durante a intervenção ou na fase de recuperação, ainda na internação hospitalar, o que demanda uma atuação rápida e resolutiva da equipe médica.

Saiba quais são as principais complicações relacionadas com a cirurgia bariátrica:

● embolia pulmonar – entupimento de algum vaso sanguíneo do pulmão, o que gera dor aguda e dificuldade para respirar;

● fístulas – vazamentos que podem ocorrer nas costuras e nos grampeamentos do estômago ou intestino;

● vômitos, diarreia e fezes com sangue.

Com o agravamento de algumas dessas circunstâncias, a equipe médica pode avaliar a necessidade de uma nova intervenção cirúrgica. Vale lembrar ainda que, antes da cirurgia, é necessária uma verificação criteriosa e multidisciplinar do estado de saúde da pessoa que vai se submeter ao procedimento.

No Hospital Brasília Unidade Águas Claras, nossos profissionais estão aptos a oferecer todo esse suporte, desde as primeiras consultas de avaliação até o acompanhamento pós-operatório. Tudo começa no Centro Médico Águas Claras, onde nossos médicos fazem o atendimento inicial e ajudam o paciente a traçar a melhor conduta para o caso. Para agendar sua consulta pré-operatória para a cirurgia bariátrica ligue: (61) 3052-4600.​


Veja mais

Nosso site usa cookies para melhorar a navegação. Conheça o nosso Portal de Privacidade .