Logon
Blog

Existe gastrite nervosa?

Existe gastrite nervosa?

​​Você já sentiu queimação no estômago ou inchaço logo depois de comer? Isso pode ser indício de dispepsia funcional. Popularmente – e erroneamente – chamada de “gastrite nervosa”, essa doença causa desconforto estomacal, está diretamente ligada a questões emocionais e, diferentemente da gastrite, não causa irritação na mucosa do estômago

Naturalmente, você deve estar se perguntando como diferenciar os dois quadros. Por isso, convidamos a Dra. Zuleica Bortoli, gastroenterologista do Hospital Brasília, para tirar as principais dúvidas sobre o assunto.

Como identificar os sintomas?

Os sintomas de dispepsia são basicamente os mesmos que ocorrem na gastrite em si. “A diferença entre os dois quadros é que, na dispepsia funcional, não há inflamação no estômago, mas alteração na sensibilidade e na motilidade gastrointestinal”, explica a médica. 

Os principais sinais da condição são:

• dor no estômago em forma de pontada;

• enjoo e vômitos;

• sensação de estômago cheio;

• barriga inchada e dolorida;

• arrotos frequentes;

• mal-estar geral, por causa da digestão mais lenta;

• queimação;

• dor de cabeça;

• perda de apetite.

O que é bom para aliviar os sintomas de gastrite?

A gastrite “clássica” pode ser causada pelo consumo de alimentos mal lavados que contenham a bactéria H. pylori e pelo uso prolongado de álcool, cigarro e anti-inflamatórios, pois causam irritação da mucosa do estômago. Tanto para essas situações quanto para pessoas que estejam com má digestão ocasionada pela dispepsia, uma alimentação balanceada e alguns tipos de chás podem ser grandes aliados no alívio da sensação de desconforto. 

O que fazer para curar a dispepsia funcional?

Boa notícia: a dispepsia funcional tem cura e é relativamente fácil de ser resolvida. Para melhorar os sintomas, o recomendado é adotar uma alimentação leve, com pouca gordura, álcool e café. Já alimentos cozidos e que sejam pouco fermentáveis são uma boa opção. A médica dá outra dica de ouro: “Atividades físicas ou de lazer ajudam a reduzir os níveis de estresse. Invista nisso!”​

Que médico trata gastrite e dispepsia?

O médico gastroenterologista (mais conhecido apenas por gastro) é especialista no sistema digestivo, que inclui boca, esôfago, estômago, intestinos, pâncreas e fígado. Como a dispepsia funcional é desencadeada, principalmente, por questões emocionais, acompanhamento psicológico também pode ser indicado.

Tratamento

O tratamento mais comum é feito por meio do uso de remédios que diminuem a acidez do estômago. Porém, o uso prolongado desses medicamentos deve ser monitorado pelo médico. Dessa forma, o melhor jeito de tratar a dispepsia funcional é cuidar da saúde mental com psicoterapia/psicanálise; adotar técnicas de relaxamento como a meditação; reservar um momento para fazer coisas que dão prazer e optar por uma dieta que tenha como base comida de fácil digestão, como carnes magras, peixes, vegetais e frutas, e bastante água. Quanto ao modo de preparo dos alimentos, dê preferência às versões cozidas e grelhadas, além de evitar itens industrializados, corantes, conservantes e excesso de açúcar.

O Núcleo Especializado em Doenças Intestinais Complexas (NEDIC) do Hospital Brasília conta com uma equipe multidisciplinar composta por especialistas de diversas áreas e estrutura completa para acompanhar o paciente durante toda a linha de cuidados. Para agendar uma consulta, ligue para (61) 3704-9000 ou clique aqui.



​​

Veja mais