Logon
Blog

Câncer e exames laboratoriais: o que você precisa saber

Importantes ferramentas contra o câncer, os exames laboratoriais precisam ser indicados de acordo com a condição clínica de cada pessoa.

Quando falamos em câncer, é muito comum relacionarmos o quadro a exames de imagens. O que poucos sabem, no entanto, é que, além dos exames de imagem, exames laboratoriais são ferramentas importantes para orientar a conduta do médico para determinados casos de câncer. “Mas é necessário esclarecer que a grande maioria dos exames de sangue, em especial os de marcadores tumorais, precisam ser solicitados de acordo com o contexto clínico de cada paciente”, alerta o Dr. Renato Sabbag, cirurgião oncológico que atua no Hospital Brasília.

Pilares da assistência na abordagem do câncer

O câncer é uma doença que tem desafiado a ciência e a medicina há séculos. Há centenas de tipos de tumores, e cada organismo reage de uma maneira diferente às diversas modalidades de tratamento disponíveis. Os médicos dividem a trajetória do paciente em relação ao câncer em alguns momentos específicos: a prevenção, o diagnóstico, o tratamento e o seguimento.

A prevenção ainda é o melhor caminho, e quando se trata de cânceres mais comuns, esta não se torna uma tarefa tão difícil assim. É o caso do câncer de próstata. A partir dos 50 anos, além do exame clínico com o urologista, os homens precisam fazer também o exame antígeno prostático específico (PSA): por meio de uma amostra de sangue do paciente, é possível identificar vestígios bioquímicos que podem indicar a presença de câncer de próstata. “Com o resultado alterado do PSA, o próximo passo pode ser a realização de uma biópsia para a confirmação do diagnóstico”, afirma o Dr. Sabbag.

Já durante o diagnóstico e o tratamento, os exames laboratoriais também ajudam a orientar o profissional com relação à melhor conduta a ser tomada para cada caso específico. A identificação de marcadores tumorais e outros “rastros” bioquímicos que o câncer deixa no sangue faz parte do arsenal terapêutico. Novamente, alerta o Dr. Sabbag, serão necessários outros exames complementares nessa fase, já que o tratamento oncológico pode ser de alta complexidade e não há uma solução única para todos os pacientes, mesmo quando se trata do mesmo tipo de câncer.

A doença pode ser silenciosa e, muitas vezes, sem sintomas imediatos. Mesmo o tratamento realizado com sucesso não evita que ela volte a aparecer, que é o que os médicos chamam de “recidiva”. Por isso, os exames de seguimento são fundamentais para detectar esse retorno da doença o quanto antes. Nessa etapa, os médicos também contam com o auxílio de exames laboratoriais de alta precisão. Eles vão ajudar no acompanhamento desses pacientes ao longo de um período que pode chegar a mais de cinco anos.

A medicina tem se debruçado ininterruptamente na busca de novas ferramentas diagnósticas e tratamentos para o câncer. Lançar mão do que há de mais moderno e tecnicamente adequado para cada caso é um dos fatores que podem influenciar no controle do quadro. “Por se tratar de uma doença multifatorial e de alta complexidade, é fundamental que a condução de cada caso seja individualizada”, completa o médico.

O Laboratório Exame, parceiro do Hospital Brasília, oferece uma vasta gama de exames relacionados com todos os pilares da assistência ao paciente com câncer (prevenção, tratamento e seguimento). Para saber mais, acesse www.laboratorioexame.com.br.​

 


Veja mais

Nosso site usa cookies para melhorar a navegação. Conheça o nosso Portal de Privacidade .