Logon
Blog

Aneurisma cerebral: o que é, sintomas e quando procurar um médico

O aneurisma cerebral é caracterizado pela dilatação anormal de uma artéria no cérebro. Se não tratado, pode levar a um AVC (acidente vascular cerebral) hem



O aneurisma cerebral é uma dilatação anormal de uma artéria no cérebro. Essa dilatação forma uma espécie de “bolha” no vaso sanguíneo que pode estourar e levar a uma hemorragia subaracnóidea (um subtipo de AVC, acidente vascular cerebral, hemorrágico). O diagnóstico de um aneurisma cerebral é feito com um exame de imagem do crânio. Veja abaixo mais informações sobre esse problema e quando é necessário buscar ajuda médica

 

Aneurisma cerebral: o que é? 


Aneurisma é um termo médico para descrever a dilatação anormal de qualquer artéria do corpo. No caso do aneurisma cerebral, essa dilatação ocorre em uma artéria localizada no cérebro.  


Fatores de risco 


O aneurisma cerebral pode ter como origem algum problema congênito, ou seja, algum problema que a pessoa já nasceu com ele. Quando não é o caso, alguns fatores de risco podem predispor o indivíduo a ter um, como:  

  • Hipertensão​ (pressão alta) não controlada; 
  • Tabagismo; 
  • Infecções (especialmente endorcadite, uma infecção no coração); 
  • Uso de substâncias ilícitas (particularmente cocaína); 
  • Histórico familiar. 


Sintomas de aneurisma cerebral ​​


Na maioria dos casos, a presença do aneurisma cerebral costuma ser assintomática e o problema só é descoberto se o paciente: 

  • Fizer um exame de imagem da cabeça por algum motivo, ou; 
  • Em situações de emergência, quando o paciente apresenta sintomas característicos de um AVC​, significando a sua ruptura e resultando em uma hemorragia cerebral. 

O principal sintoma da ruptura de um aneurisma cerebral é a dor de cabeça, que começa de forma súbita e tem forte intensidade, muitas vezes descrita como a pior dor de cabeça que o paciente já teve na vida. Outros sintomas incluem: 

  • Perda ou alteração de consciência, com desorientação, confusão mental, sonolência importante; 
  • Rigidez no pescoço; 
  • Náuseas e vômitos de repetição; 
  • Perda de força em uma metade do corpo; 
  • Dificuldade para falar e/ou entender o que as outras pessoas falam; 
  • Perda da visão de um ou dos dois olhos; 
  • Tontura importante, incapacitante, dificultando o caminhar; 
  • Convulsões. 

 

Como é feito o diagnóstico? 


O diagnóstico do aneurisma cerebral é feito por meio de exames de imagem como tomografia computadorizada, ressonância magnética e/ou angiografia do crânio.   


Qual médico devo procurar? 


A recomendação é que os aneurismas cerebrais sejam tratados por uma equipe de especialistas em neurologia, neurorradiologia intervencionista e neurocirurgia.  

Em geral, o quadro exige ainda um cuidado direcionado para unidade de terapia intensiva (UTI), com vigilância rigorosa do quadro clínico dos pacientes, uma vez que pode ocorrer mudanças repentinas no quadro. 


Formas de tratamento para aneurisma cerebral 


Há dois momentos em que o aneurisma cerebral pode ser tratado: antes e depois de romper.  

Se ele for descoberto antes, as opções de tratamento são:  

Cirurgia: um procedimento chamado clipagem é usado para interromper a comunicação entre o aneurisma e a artéria saudável. 

Embolização: também chamado de tratamento endovascular, é um procedimento minimamente invasivo em que um cateter é inserido em uma artéria do corpo do paciente (virilha ou braço). Com isso, é possível levar dispositivos específicos para fechar o aneurisma através de molas ou stents. 

Quando o aneurisma é descoberto depois do rompimento, o quadro passa a ser considerado uma hemorragia subaracnóidea, um subtipo de AVC hemorrágico. É fundamental buscar ajuda médica imediata para reduzir o risco de morte e sequelas graves. 

Nesse caso, são usados medicamentos que controlam a pressão arterial e evitam lesões secundárias ao sangramento intracraniano, a mais comum delas, o vasosespasmo.  

Os médicos também irão monitorar a pressão intracraniana, já que a hemorragia forma um edema (inchaço) no cérebro. Se o edema for muito intenso, é necessário realizar uma cirurgia para remover o excesso de líquido e reduzir a pressão. 

​​

Veja mais